» » » » Haddad chama Bolsonaro de ‘fantoche’ e ‘frouxo’ após ausência em debate

"Se ele tivesse a menor condição de presidir a República, teria me enfrentado. Ele se acovarda, prefere um diálogo de baixo nível pelas redes sociais"
Foto: Divulgação/TVE Bahia

Na reta final da campanha eleitoral para o segundo turno destas eleições, o candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT) endureceu ainda mais o discurso contra seu adversário, Jair Bolsonaro (PSL).
Na última sabatina realizada pela TVE Bahia, na noite desta sexta-feira (26), o petista rebateu as acusações de que seria um “fantoche” do ex-presidente Lula (PT) e partiu para o ataque.
“Ele se acovarda diante do debate, prefere fazer um diálogo de baixo nível nas redes sociais. Se tivesse a menor condição de presidir a República, teria me enfrentado. Quem é fantoche é você, Bolsonaro, que foge. Trata-se de um frouxo. Sou professor universitário, fui ministro da Educação e prefeito (de São Paulo). E, ao contrário dele, participei dos debates”, disse Haddad.
O candidato também lamentou a decisão da TV Globo de não realizar fazer sabatina apenas com ele, diante da recusa do capitão reformado do Exército para comparecer ao debate.
“É um erro a gente imaginar que favorece uma pessoa e isso fica por isso mesmo. Não podemos levar à Presidência da República uma pessoa despreparada. Trata-se de um miliciano que não tem honra e coragem de enfrentar o debate, portanto uma pessoa muito perigosa para as instituições, que parece querer – com a grande mídia – torná-lo palatável para a opinião pública”.
Haddad criticou o discurso de Bolsonaro de que irá “acabar com coitadismo de nordestino, gay, negro e mulher“.
“Coitado é ele, que não é capaz de usar a farda que já usou e vir cara a cara comigo. Não bato continência para bandeira americana, não enalteço torturador, sou contra a cultura de estupro, sou contra a ditadura de quaisquer tipos. E não vou ficar delegando para outros as decisões que eu tomar, como ele faz, no caso da economia, educação e saúde. Imagina o Bolsonaro tendo que responder sobre geopolítica. Ele não tem a menor ideia, por exemplo, sobre a diferença de capacidade bélica entre Brasil e Venezuela pra sair falando em guerra. Bolsonaro é uma pessoa desequilibrada e despreparada”.
Universidades – Fernando Haddad também comentou sobre as ações policiais e de fiscalização eleitoral que mirou, nos últimos dias, as universidades públicas de todo o País, decretando o fim de atos contra fascismo.
“Para a Justiça proibir uma bandeira antifascista porque corresponde à campanha para a nossa candidatura… Só pode significar que a Justiça entende que meu adversário corresponde ao fascismo. A ameaça à livre docência e autonomia universitária é gravíssima. Hoje os direitos estão sendo ameaçados, inclusive pelo Judiciário. As universidades públicas federais estão sendo ameaçadas por defenderem a democracia e se colocarem contra o fascismo”.
Destacando falas de Bolsonaro em apoio à tortura e “incitação” a demais timos de violência, o petista analisou a ‘onda bolsonarista’. “As pessoas não estão com medo da pessoa física, porque ele não é de nada. Ele mesmo não dá medo, tanto é que não está aqui. Mas ele incita as pessoas a serem violentas. O Bolsonaro está perdendo votos porque as pessoas estão conhecendo ele agora. Eu espero que a população tenha tempo de conhecer esse homem odioso que ele é”.
O candidato do PT pediu atenção às mensagens compartilhadas via WhatsApp contra sua candidatura. “Não confiem em mensagens do Bolsonaro no WhatsApp. Ele faz calúnias e usa dinheiro de empresário, caixa 2, para evitar que a verdade prevaleça. Mas o povo está esperto, está sabendo quem ele é”.

About Conexão Cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply