» » » Boi foge da Fenagro, some por cinco dias e morre afogado no mar de Itapuã

Boi é clicado dentro da água pelo fotógrafo Douglas Pedrosa, um dos primeiros a avistá-lo na praia (Foto: Douglas Pedrosa/Divulgação)
Depois do ‘Sereio de Itapuã’, mais um ser improvável apareceu no mar daquela região. Com chifres e cerca de 600 quilos, o personagem que provocou comoção em banhistas e salva-vidas na praia vizinha de Stella Maris, nesta quinta-feira (29), era um animal que na lenda antiga pernambucana foi visto voando, mas no realismo fantástico e hodierno baiano foi flagrado nadando.
Surfistas o retiraram três vezes da água, mas animal voltava; salva-vidas também não conseguiram resgate.
Depois do ‘Sereio de Itapuã’, mais um ser improvável apareceu no mar daquela região. Com chifres e cerca de 600 quilos, o personagem que provocou comoção em banhistas e salva-vidas na praia vizinha de Stella Maris, nesta quinta-feira (29), era um animal que na lenda antiga pernambucana foi visto voando, mas no realismo fantástico e hodierno baiano foi flagrado nadando.
Um boi da raça Nelore mergulhou no mar por volta das 11h, na altura da Barraca Doce Vida. Segundo o chefe de setor de salvamento da Salvamar, Januário Brito, que estava entre os profissionais que tentou resgatá-lo, o animal entrou na água “de forma inesperada”, segundo testemunhas. O Salvamar foi acionado por um salva-vidas que atua na área. Quando soube do que se tratava, Januário tomou um susto.
“Há alguns dias, teve o homem-peixe, o homem ‘sereio’. E, agora, o boi. Quando recebi o chamado, não acreditei”, contou ao CORREIO. 
Pelo menos quatro salva-vidas entraram na água para tentar evitar o afogamento do animal, enquanto outros três, da areia, orientavam os colegas, devido à forte correnteza. Com pranchas, bóias e uma corda, os salva-vidas enfrentaram duas horas de remada no mar – de 11h30 até pouco mais de 13h30. 
“Fizemos um cerco para ver se a gente conseguia levá-lo para a costa, mas ele estava muito assustado, estressado. Estava muito bravo, mesmo dentro da água”, diz.
Inicialmente, o boi não estava muito longe da costa – a distância máxima que chegou foi 500 metros da areia. Mesmo assim, a tentativa de resgate foi difícil. De acordo com o chefe de setor de salvamento, o animal seguia nadando em direção ao oceano, muito assustado. 

“A gente estava tentando fazer com que ele voltasse, mas ele avançava, inclusive em nossa direção. Tínhamos a corda para tentar laçar, mas a gente não tem muita intimidade, na verdade, porque era um animal enorme, bem na nossa frente. Tive medo, sim”, admite ele, que trabalha na área há 10 anos. 
 Com tanta movimentação, dentro do mar, eles acabaram se deslocando quase um quilômetro de distância do ponto inicial. Cerca de 40 pessoas acompanharam a tentativa de resgate da areia, mas o boi não resistiu. O animal acabou engolindo muita água e morreu antes que os salva-vidas conseguissem retirá-lo do mar. 
Entrou e saiu três vezes

Na verdade, antes mesmo da chegada dos salva-vidas, um grupo de surfistas já tentava resgatar o boi. O fotógrafo aquático de surf Douglas Pedrosa, 24 anos, foi um dos primeiros a avistar o animal na água. Ele estava com um grupo de amigos, prestes a fazer uma sessão de fotos aquáticas, quando uma das jovens apontou para o bicho. 
(Foto: Leitor CORREIO)
Douglas também achou que fosse mentira; pensou que a amiga estivesse brincando – até que finalmente o viu. “Tinha um boi no mar e era inacreditável. Ele passou a arrebentação e estava lá fora (no mar), andando. Soube que rolaram coisas desse homem sereio e tal, mas boi nunca vi no mar. Sei que acontece de atravessar rio, mas, no mar, nunca vi”, narra. 
Eles tentaram fazer com que o boi voltasse para a areia, mas o animal já estava nervoso. Parecia atordoado. Sempre que os surfistas tentavam atraí-lo para a costa, ele avançava em cima do grupo. 
“A gente conseguiu trazê-lo para a areia três vezes, mas ele voltava. Parecia que queria cometer um suicídio”, explica o fotógrafo, que ainda conseguiu clicar o animal. 
A essa altura, curiosos já começavam a chegar na areia. Pouco depois os salva-vidas chegaram, dando início à fase seguinte de tentativa de resgate. Só que o boi continuava se movimentando, chegando a se deslocar de uma ponta a outra no mar. Um grupo de cavaleiros, vindos do Parque de Exposições, chegou a trazer uma corda, mas nada adiantou. 
“Quando chegou no pico, ele perdeu as forças. Vimos que ele não conseguia mais e apagou na água. Foi quando o pessoal conseguiu pegar ele e trazer para a areia, mas já estava desfalecido”, conta. 
Um veterinário teria tentado reanimar o boi, após ele chegar à areia, mas não houve sucesso. 
Feira agropecuária
O boi fugiu do Parque de Exposições de Salvador, no sábado (24). Ele veio transportado de uma fazenda em Teodoro Sampaio, no Centro-Norte do estado, para participar da 31ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro 2018). 

Quando estava sendo descarregado, o animal fugiu e entrou no areal atrás da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA). Equipes do evento tentaram resgatá-lo, mas não conseguiram. A assessoria da Fenagro confirmou que os profissionais continuaram tentando localizar o animal. O dono do bovino preferiu não dar entrevista. 
O boi chegou a ser avistado na quarta-feira, perto do Aeroporto de Salvador, mas não conseguiram resgatá-lo. Procurado pelo CORREIO, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) informou que não recebeu nenhuma solicitação relacionada ao caso. 
O boi tinha três anos de idade. Ele não tinha nome.Correio24horas

About Conexão Cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply