» » Bombeiros já registraram 31 mortes no mar este ano

De acordo com o 13° Grupamento de Bombeiros Militar (13°GBM/Gmar), de janeiro a julho deste ano, foram realizados 188 resgates de pessoas com vida no mar da capital baiana.
Foto: Romildo de Jesus / Tribuna da Bahia
Mesmo com as praias interditadas pela prefeitura, por conta da pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas insistem em entrar na água. De acordo com o 13° Grupamento de Bombeiros Militar (13°GBM/Gmar), de janeiro a julho deste ano, foram realizados 188 resgates de pessoas com vida no mar da capital baiana. Contudo, o órgão salienta, que foram realizadas, ainda, 31 recuperação de cadáveres. Já no ano de 2019 foram registrados 549 resgates e 13 recuperação de cadáveres.
Em nota, o Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA), alerta os cidadãos sobre os cuidados ao entrarem na água. Eles reforçam, também que, “é importante seguir as orientações dos guarda-vidas e lembrem sempre que água no umbigo, é um sinal de perigo”, frisa o órgão.
Já o Coordenador do Salvamento Marítimo de Salvador (Salvamar) Yuri Carlton, disse que o órgão registrou três mortes este ano. Ele ressalta que duas mortes foram durante o período de pandemia, onde as praias estão interditadas. “Infelizmente muita gente vem infringindo a lei. Normalmente as pessoas estão em grupos e costumas frequentar o trecho da praia do Corsário, onde mais ocorrem os afogamentos”, relatou.
Yuri Carlton falou, ainda, em outros trechos frequentes de registro de afogamentos. Os mais relevantes são: Piatã, Itapuã, Stela Mares e Jardim de Alah. “Esse cenário são consequências das inúmeras correntes de retorno que acontecem com frequência neste trecho de baía”, explicou.
O Coordenador lembrou que durante este período de pandemia e praias interditadas, a Salvamar vem trabalhando junto com a Guarda Municipal de Salvador (GMS), sempre fazendo operação. “O objetivo é estar sempre fazendo a retirada de surfistas das praias, como também, de banhistas. Atuamos principalmente nos finais de semana”, diz.
O Coordenador frisa que a equipe está toda de prontidão para atender a população. Atuando em 35 postos espalhados nos 28 quilômetros que vão desde a Praia de Jardim de Alah até a Praia de Ipitanga, divisa com o município de Lauro de Freitas. “Neste momento com a equipe e horários reduzidos, consequência da pandemia”.
As informações em relação ao adolescente Iran Oliveira 15 anos, que desapareceu na praia da Boca do Rio, nesta quinta-feira (20), após entrar na água para limpar a areia do corpo, quando jogava bola com um grupo de amigos na areia e não conseguiu sair. Até o fechamento desta edição, ele não havia sido encontrado.
As buscas foram retomadas na manhã dessa sexta-feira (21). Os amigos de Iran também voltaram à praia para procurar o adolescente. O pai dele também esteve no local. Abalado, ele disse que o adolescente não sabia nadar.
Mergulhadores do Salvamar foram chamados pelos amigos de Iran e também fizeram buscas no início da noite de quinta-feira (20), mas o adolescente não foi localizado. Equipes de náuticos e mergulhadores do Gmar permaneceram no local nesta sexta, para fazer as buscas. Eles usam uma embarcação tipo motoaquática, um bote e um drone.

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga