» » » No pênaltis, Bahia vence Atlético de Alagoinhas e conquista o tricampeonato Baiano

Tricolor joga final com time principal, fica no empate no tempo normal e consegue a conquista na disputa de pênaltis.
Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia
1988. Essa tinha sido a última vez que o Bahia havia conquistado o tricampeonato baiano. Passaram-se 32 anos para que o feito pudessse ser repetido. E foi neste sábado. Depois de uma final onde o Atlético de Alagoinhas foi melhor em campo durante quase todo o tempo, as equipes empataram em a 1 a 1. A decisão, então, precisou ir para a cobrança dos pênaltis. E o Tricolor levou a melhor. Venceu por 7 a 6 e levantou a taça do estadual.
O que mudou?
Durante a disputa ao mesmo tempo do Baiano e da Copa do Nordeste, o técnico Roger Machado foi questionado sobre o motivo de não aproveitar os jogadores do time que disputava o estadual na equipe considerada principal. A resposta era sempre de respeito à hierarquia. Mas neste sábado, quem disputou toda a fase final do Baiano ficou fora do jogo. O treinador optou por escalar o time principal no Baiano.
Final e estreias
Por conta da decisão do Bahia de contar com força máxima, o jogo decisivo do Campeonato Baiano foi também o de estreia de muitos jogadores. Lucas Fonseca, Juninho, Juninho Capixaba, Flávio, Rodriguinho, Élber e Rossi debutaram na competição justamente na finalíssima.
O JOGO
Não adiantou muito o Bahia optar pelo seu time principal para a final deste sábado. Pois foi o Atlético de Alagoinhas quem começou melhor o jogo em Pituaçu. E seguiu assim até o fim. É verdade que nenhuma das duas equipe teve boas chances de gol, mas foi o Atlético de Alagoinhas o time mais incisivo em campo nos primeiros 45 minutos da partida. Tanto que foram sete finalizações do Carcará e nenhuma do Tricolor.
O segundo tempo não começou muito diferente em Pituaçu. Foi o Atlético quem continuou dando as cartas e chegou primeiro ao gol. O veterano Magno Alves acertou um bom chute de fora da área e abriu o placar. Na desvantagem, o Bahia foi para o abafa e conseguiu o empate em uma jogada polêmica que Daniel mandou para o fundo das redes. O gol animou o Tricolor que passou a pressionar o Carcará em busca da virada. Mas não teve sucesso, e o título teve que ser decidido na disputa de pênaltis.
FICHA TÉCNICA
Bahia 1 (7) x (6) 1 Atlético-BA
Campeonato Baiano - Final (2º jogo)
Local: Pituaçu, em Salvador
Data: 08/08/2020 (sábado)
Horário: 16h30
Árbitro: Marielson Alves Silva (CBF-Vitória da Conquista)
Auxiliares: Elicarlos Franco de Oliveira e Jucimar dos Santos Dias (ambos da CBF-Salvador)
VAR: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Paulo de Tarso Bregalda Gussen (CBF-Salvador)
Cartões amarelos: Flávio, Daniel (Bahia) / Mailson (Atlético-BA)
Gols: Magno Alves (Atlético-BA) / Daniel (Bahia)
Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Ronaldo (Gregore), Flávio (Daniel) e Rodriguinho (Marco Antônio); Rossi (Clayson), Élber e Fernandão (Saldanha). Técnico: Roger Machado.
Atlético de Alagoinhas: Fábio Lima; Paulinho (Edson), Mailson, Eduardo e Filipinho; Lucas Alisson, Dedeco e Edilson (Alex); Tobinha, Russo (Vitinho) e Magno Alves. Técnico: Agnaldo Liz. EC Bahia

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga