» » Sesau apresenta panorama atual da saúde no município



O prefeito Elinaldo Araújo convocou uma reunião com os diretores dos departamentos que compõem a Secretaria da Saúde (Sesau), bem como com os dirigentes dos distritos sanitários da sede e costa do município, nesta quinta-feira (15/10). De acordo com o gestor municipal, o objetivo do encontro foi para ficar a par do panorama atual da saúde, em Camaçari.

Na oportunidade, foi apresentado ao prefeito números, dados, balanços, entre outras informações, que, juntos, descrevem o cenário atual da saúde no município. “A intenção é ficar por dentro do andamento das ações e medidas adotadas por setores, além de saber, se há dificuldades nos trâmites dos trabalhos e ouvir as sugestões destes profissionais”, destacou o prefeito.

Resultados apresentados:

MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE E ATENÇÃO HOSPITALAR - a diretora do departamento, Elaine de Oliveira, falou sobre:

-a reforma e a reimplantação do Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), que foi encontrado desativado.
-o Pronto Atendimento (PA) de Vila de Abrantes, que estava sucateado, sem condições e infraestrutura para funcionamento, foi implantado em um novo endereço ofertando novos serviços.
-do Multicentro de Saúde do Distrito de Monte Gordo, com a oferta de diversas especialidades e exames de imagens, implantado no início de 2020.
- da reformulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) 192, que atualmente conta com sete ambulâncias próprias, cinco rodando para atendimentos gerais e mais duas destinadas para a Covid. Ainda foi implantada uma nova central de regulação para o SAMU e duas novas bases, uma na sede e outra na orla, melhorando o tempo de resposta no atendimento. O Samu funciona com prontuário eletrônico, com todo atendimento informatizado, ampliação da escala de equipes de atendimento.  
-a implantação, em 2018, do Centro de Atenção à Saúde da Criança (Casc), composto por uma Unidade de Pronto Atendimento 24 horas e uma Policlínica Pediátrica, com 11 especialidades.  
-atualmente, encontra-se em reforma o prédio onde funcionava a antiga regulação, que passará a abrigar o Centro Especializado de Reabilitação e o Centro de Referência e Especialidades em Saúde (Cres), um local com maior infraestrutura e mais serviços.  
-com a pandemia da Covid-19 foram implantadas duas unidades de combate à doença, o Centro Intensivo de Combate ao Coronavírus (CICC), funcionando no prédio da antiga Clirca, com dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), seis de semi-uti, reversíveis para UTI, e cinco de enfermaria, além do Centro Intermediário de Enfrentamento ao Coronavírus (CIEC), no antigo Hospital da Mulher, com 20 leitos de enfermaria (dez masculinos e dez femininos) e mais um leito de estabilização, bem como mais dez leitos de UTI, disponíveis exclusivamente para casos do novo coronavírus no município, foram contratados, via convênio, junto ao Hospital Santa Helena. “Vale ressaltar que Camaçari foi o único município da Região Metropolitana a ter oferta de leitos próprios para a Covid, pois o governo entendeu que precisava tomar as rédeas do combate à doença” salientou a Elaine.

CONTROLE E REGULAÇÃO DO SUS - Elba Brito, diretora do departamento falou da implantação do projeto da nova regulação realizada há pouco mais de um ano e que previa uma série de mudanças nos processos de trabalho da regulação no município, com etapas de mudanças e resultados a médio e longo prazo, o que já foi atingido em mais de 80% dos objetivos. As mudanças já aconteceram e os frutos já estão sendo colhidos, pontuou a gestora.

-a descentralização das vagas de especialidades no município, o que acabou com a formação de filas durante a madrugada nas unidades de saúde e evita o deslocamento dos usuários para realizar a marcação de procedimento.
-a demanda reprimida da fila de espera foi dimensionada e atualmente, com base em um planejamento para atacar o volume da fila e conseguir chegar à normalidade, foi planejada a realização de mutirões de atendimento, previstos para acontecer no mês de março deste ano. Mas a pandemia atrapalhou esta etapa do processo e se espera o momento sanitário ideal para ser executado.
-informatização do processo de agendamento e cadastramento do usuário. Desde que foi aberto o novo sistema já se pode contabilizar ganhos reais, com resultados expressivos de agendamento, nos quais já foram marcados mais de um milhão de procedimentos e mais de mil cirurgias.
-o faturamento dos gastos com prestador de serviço passou a ser digital.
-agora em outubro, o controle de regulação está voltando à normalidade no atendimento, em que as agendas já estão rodando em 70% da oferta regular. Visto que, no início da pandemia só atendia os casos excepcionais.  
 -em maio foi implantada a central de regulação de leitos Covid, criada para analisar as demandas e regular o paciente para a unidade de enfrentamento adequada.

VIGILÂNCIA EM SAÚDE - Alcione Vasconcelos, diretora do departamento, falou sobre as taxas de ocupação dos leitos Covid, que chegaram a ficar muito altas, com quase 100% durante cerca de dois meses. “Felizmente estamos num processo de desaceleração da doença, em que  as taxas estão caindo, principalmente dos leitos clínicos. O que sinaliza a necessidade de desmobilizar o serviço, por meio de um plano gradual e com cautela”, salientou.

-atualmente a taxa é a seguinte: 5% de ocupação no centro intermediário e 60% no centro intensivo, o que se configura nas melhores taxas desde o início da pandemia. “A ocupação de leitos hoje no município nos dá certa tranquilidade, pois estamos em declínio dos números de casos da doença, e, consequentemente, na ocupação de leitos, o que nos sinaliza a necessidade de replanejar a manutenção ou não dos leitos disponíveis, por isso é fundamental a vigilância nos indicadores que vão impactar no comportamento mais adiante”.

-investimentos foram feitos para montar os centros de enfrentamento, com a redução do número de leitos, aos poucos e com cautela, para não causar desassistência. A tendência é desmobilizar gradualmente, reduzindo o número de leitos proporcionalmente até que não precisem mais existir, o que vai evitar os gastos de recursos públicos desnecessários.

ATENÇÃO BÁSICA - as informações sobre as requalificações nas unidades de saúde existentes na sede, orla e zona rural do município, foram dadas pela diretora do departamento, Meire Nadja.

-de 2017 até agora, das 42 unidades existentes na cidade, 39 foram reformadas e entregues à população. Atualmente, estão em processo de requalificação e com previsão de entrega até o mês de novembro, as unidades de saúde da comunidade de Buris de Abrantes, no distrito de Vila de Abrantes, e dos bairros Lama Preta e Camaçari de Dentro, na sede.

PLANEJAMENTO - a diretora do setor, Tammy Fonseca, falou da implantação do prontuário eletrônico, que acontece desde o ano passado no município.

-o uso da tecnologia já acontece, de forma piloto, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arembepe e no Casc. Nas unidades da atenção básica, a tecnologia está em funcionamento na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Cajazeiras de Abrantes, Fonte da Caixa, Caminho do Mar, Barra do Pojuca e Monte Gordo.
-recentemente, a ferramenta começou a ser usada na unidade do bairro Novo Horizonte. “Mesmo com todos os desafios, a perspectiva é implantar a tecnologia em todas as unidades do município”, salientou a gestora.

Agência de Notícias - Prefeitura de Camaçari

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga