» » Recuperado da Covid-19, Geraldo Luís deixa hospital e comemora: “Milagres existem”

  Dos 22 dias internados, Geraldo chegou a passar 10 dias na UTI.

Foto:Reprodução/Instagram

Depois de ficar internado por 22 dias, o apresentador Geraldo Luís recebeu alta hospitalar neste domingo (21) após se recuperar da Covid-19. O profissional comemorou através do perfil oficial no Instagram, e agradeceu Ludhmila Hajjar, médica que recusou o convite para assumir o Ministério da Saúde.

“Viva a vida! Depois de 22 dias internado, tive alta ontem à noite. Passei uma travessia como de um rio turbulento que aos poucos foi acalmando. Agradecer toda equipe de enfermeiros, médicos e minha amiga que diretamente foi a responsável pelo meu tratamento que me trouxe de volta“, iniciou.

“Mulher determinada a salvar vidas @draludhmilahajjar que tanto cuidou de mim. O que senti quando elas entraram no quarto? Uma voz de Deus interna em mim, vocês que oraram tanto por mim muito obrigado, que Jesus cuide de vocês. A gratidão por voltar! Vivo pra casa”, completou.

Dos 22 dias internados, Geraldo chegou a passar 10 dias na UTI. Em outro post na rede social, o jornalista disse que teve 70% do pulmão comprometido pela doença e que perdeu 11 quilos.

“As sequelas normais ficaram e estou lutando dia a dia. O banho sozinho ainda não mas virá, terei que recuperar massa, perdi 11 quilos. Estou mais que feliz, nasce mais uma vez um Geraldo em mim. Um novo Geraldo aqui mora em mim, poucos entenderão…mas não estou preocupado. Quando a morte, medo ou riscos bate na nossa porta, nunca mais nosso lar interno será o mesmo. Lutar e seguir…se cuidem, se amem esse vírus levou muita gente forte, jovem. Obrigado por existirem em minha vida. Jesus abençoe vocês…Vacina logo pra todos, menos conversa menos políticas e mais ação. Milagres existem, olha eu aqui”, detalhou Geraldo.

Tópicos: covid-19geraldo luísrecuperado

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga