» » Mortes de animais marinhos crescem no litoral

  Entre os bichos estão tartarugas marinhas, golfinhos, botos cinza, baleias e aves marinhas.

Foto: Divulgação Petrobras

Maior litoral brasileiro, com mais de 1200 km de extensão, a Bahia tem preocupado os biólogos e entidades quando o assunto é a morte de animais marinhos. Todos os anos, centenas desses animais são encontrados mortos nas praias do litoral baiano. Entre os bichos estão tartarugas marinhas, golfinhos, botos cinza, baleias e aves marinhas. Segundo o Projeto (a)mar, este ano, ao menos 170 animais marinhos foram mortos no litoral sul da Bahia (240 km), sendo a maioria tartarugas e aves. A principal causa das mortes apontadas é o encalhe em rede de pesca.

“Esse ano o número de mortes de animais marinhos no litoral sul já é maior do que o ano passado que nesta mesma época tinham sido registradas 125 mortes. E esse aumento tem sido notado ano a ano nos últimos três anos. O normal é o animal morrer de causas naturais, mas não é o que vem acontecendo. Temos observado que mais de 70% das mortes tem acontecido devido ao emalhe incidental em rede de pesca, isto é, o pescador coloca a rede e deixa lá para pegar no outro dia e essa prática tem matado os animais, pois eles têm ficado presos nessas redes”, alertou o biólogo e coordenador de encalhes, reprodutivo e de estabilização clínica do Projeto (a)mar, Wellington Luiz de Souza.

Conforme detalhou ainda o biólogo, dos 170 animais encontrados mortos no litoral sul este ano, 140 foram tartarugas marinhas, 22 aves marinhas, quatro botos cinza, três golfinhos e uma baleia. “Nós temos autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade para monitorar esses animais no litoral sul.  E destes, a maioria das mortes vem ocorrendo na praia dos Milionários em Ilhéus”, denunciou Wellington que afirmou ainda que além do emalhe incidental, ainda tem o problema das redes de pescas fantasmas. “Acreditamos que a orientação ambiental nas praias e uma legislação específica conseguem reverter esse cenário”, finalizou.

Baleia Jubarte

Em seu ritual anual de acasalamento e reprodução na costa brasileira, as baleias jubarte começaram a ser vistas no litoral baiano em julho. Segundo o coordenador de Pesquisa do Projeto Baleia Jubarte, Milton Marcondes, no entanto, este ano já foram encontradas encalhadas 143 desta espécie no Brasil. Apesar do número preocupante, na Bahia foram sete deste total, o que representa 4,9% de todos os encalhes de Baleia Jubarte no País. “Todas chegaram mortas nas praias. Na verdade das 143, só duas chegaram vivas, mas morreram logo em seguida”, disse Milton.

A Tribuna da Bahia procurou antes do fechamento dessa matéria o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para saber dados de mortes de toda faixa litorânea este ano, mas o órgão não soube informar o número exato.Tribuna da Bahia


About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga