» » Inema promove curso de meliponicultura no Horto Florestal

                                   

Com o objetivo de fomentar a criação da abelha indígena “sem ferrão” uruçu, potencializando a melhoria ambiental e a geração de renda para agricultores familiares, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), promoveu nesta quarta-feira (27/10), um curso de meliponicultura no Horto Florestal Linaldo da Silva.A capacitação integra o Projeto Meliponicultura Joanes – Jacuípe, realizada com o apoio da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur), e foi destinada para agricultores do município e região que atuam nas bacias hidrográficas dos rios Joanes e Jacuípe.

O Projeto objetiva fomentar a criação racional de abelhas indígenas sem ferrão ‘uruçu’ e ‘Melipona (Michmelia) scutellaris Latreille, 1811’ em comunidades de agricultores familiares inseridos na Área de Proteção Ambiental (APA) Joanes - Ipitanga (bacia do Rio Joanes) e na bacia do Rio Jacuípe, localizados em assentamentos e núcleos rurais, comunidades quilombolas que apresentem na propriedade condições adequadas, notadamente vegetação, e interesse na criação.
A criação racional das abelhas indígenas sem ferrão (meliponicultura) se apresenta como uma atividade de inestimável valor para a conservação e preservação de diversos biomas do território brasileiro, promovendo ainda, a sustentabilidade para comunidades tradicionais, assentamentos e núcleos agrícolas.

Para o especialista em meio ambiente e recursos hídricos e técnico do Inema, Geneci Braz, poder promover o curso no Horto foi uma grande satisfação. “Gostaria de agradecer a receptividade da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, através da Andréa Montenegro e a equipe do Horto. Fomos bem acolhidos nessa nova estrutura para a realização do curso. Nessa capacitação trouxemos pequenos agricultores não só de Camaçari, mas da Região Metropolitana, para se tornarem criadores dessa atividade”, disse.
Durante o curso, o palestrante e responsável técnico do projeto, Marcos Abelha, falou sobre a importância da ação. “Esse projeto é gerido pelo Inema e nós fomos convidados para fazer a parte técnica. A meliponicultura é uma forma de gerar renda para as comunidades, sejam elas tradicionais, de agricultura familiar ou assentamentos. Uma iniciativa pequena ainda, mas muito importante. Inicialmente queremos atender 36 famílias em nove meses”, destacou.
Fomentar a educação ambiental é uma das propostas do novo Horto Florestal Linaldo da Silva. De acordo com o coordenador do espaço, Valdir Rios, “o curso para capacitar esses produtores acaba atendendo também pessoas que visitam o Horto. Com certeza, essa será a primeira de muitas capacitações que vamos promover aqui, sempre com foco maior na educação ambiental”, frisou.
As pessoas que desejarem agendar os espaços família, gazebos ou pavilhões do Horto Florestal Linaldo da Silva, deverão fazer a solicitação através do e-mail: hortoflorestalcamacari@gmail.com. A Sedur informa ainda, que o acesso ao Horto Florestal é franqueado ao público, de forma gratuita, das terças-feiras aos domingos, incluindo feriados, no horário das 9h às 17h. Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (71) 3644-1168.

Foto: Jonas Santos
Agência de Notícias
Coordenadoria de Jornalismo e Imprensa
Diretoria de Comunicação - Prefeitura de Camaçari

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga