» » Jornalista demitido da TV Bahia diz que foi acusado de furto e acusa diretor de racismo

O jornalista Hildázio Santana, que atuava como coordenador de Esportes da TV Bahia até semana passada, acusou um diretor da afiliada da Globo de racismo. Afirmou também que foi acusado injustamente de furtar uma cafeteira.

Nesta quinta-feira (28/10), Hildázio, que trabalhou quase 20 anos na empresa, detalhou o caso através das redes sociais. A situação teria ocorrido no dia 20 de outubro.

“Tentou me desligar por justa causa, me coagiu, me julgou e no final me puniu com um desligamento da empresa. Me acusou da ‘SUBTRAÇÃO’ de um equipamento de café. Busquei o significado da palavra subtrair no dicionário: apropriar-se de (algo alheio); furtar, surripiar”, relatou.

“Retirei uma cafeteira pequena de uma sala e coloquei em outra sala. A cafeteira não saiu da TV Bahia. Continua lá até hoje”, acrescentou.

“No dia seguinte fui chamado pelo diretor de jornalismo porque as imagens mostravam eu saindo com o equipamento de uma sala para outra. Não coloquei dentro de sacola, nem de mochila, nem embaixo da camisa. Saí com ela nas mãos e por onde passei existiam câmeras mostrando tudo. Quase 10 câmeras de uma sala para outra”, declarou.

Hildázio explicou ao diretor que teria levado o equipamento para fazer um café e se “divertir com os colegas”, mas “que iria colocar no mesmo lugar”.

“Por causa de muitas reuniões não deu tempo. Mesmo assim fui questionado pelo diretor de jornalismo Eurico Meira porque havia entrado de maneira ‘furtiva’ no local para pegar o equipamento. Em vários momentos fui perguntado sobre o tamanho de minha mochila, o que levava nela”, desabafou.

“Atônito com a situação não percebi o que realmente ele queria dizer. Meu Deus! Será que em quase 20 anos de TV Bahia e no cargo de liderança que exercia, coordenador geral de esportes, 7 promoções dentro da emissora, eu iria subtrair ou furtar, um equipamento de café? Tenho princípios e valores que meus pais me deram“, finalizou o ex-funcionário da TV Bahia.

Em nota, a emissora afirmou que o desligamento de Hildázio ocorreu em função de uma “decisão gerencial, natural no dia a dia de qualquer empresa privada”. O canal garante que não houve qualquer “viés persecutório e/ou discriminatório” para ter tomado a atitude contra o profissional.

“A Rede Bahia sempre trata seus colaboradores com respeito, igualdade e seriedade. Eventuais discussões e desdobramentos do assunto serão tratados com empenho, seriedade e clareza nas esferas e instâncias competentes”, finaliza o comunicado.

O Coletivo de Entidades Negras emitiu uma dura nota sobre o caso e cobrou uma medida urgente da emissora.

NOTA DE REPÚDIO AO CASO DE RACISMO DE DIRETOR DA TV BAHIA CONTRA JORNALISTA

O Coletivo de Entidades Negras (CEN), organização nacional do movimento negro brasileiro, fundada na Bahia para lutar pelos direitos civis dessa população, vem a público repudiar com veemência o ato de racismo praticado na TV Bahia pelo seu diretor de Jornalismo, Eurico Meira, contra o coordenador geral de Esportes, o jornalista Hildazio Santana. O ato, denunciado pelo profissional em suas redes sociais, com grave caráter de violência racial, requer posicionamento imediato, firme e incontornável da direção da TV.

Nós do CEN, que atuamos em parceria institucional com a TV Bahia em projetos diversos de fomento à igualdade racial e à diversidade étnico-racial nos espaços de comunicação e da economia, a exemplo de feiras de empreendedores negros e atividades do Novembro Negro, ficamos consternados com o caso registrado na emissora, que vai na direção contrária de orientações já prestadas por profissionais e ativistas da nossa organização à TV em consultas sobre temas relacionados à pauta antirracista.

Auxiliamos a emissora no planejamento de novos conteúdos ligados à pauta antirracista, assim como incentivamos junto à direção a maior presença de repórteres e outros profissionais negros nos seus quadros, o que resultou em produtos como o programa Conversa Preta, em especiais do Dia da Consciência Negra nos seus telejornais, entre outras entregas institucionais feitas em parceria. Também sempre estivemos disponíveis, a pedido da TV, para aumentar o leque de fontes negras a serem entrevistadas nos seus programas.

Agora, contudo, é a hora da TV demonstrar se possui real alinhamento com o combate ao racismo. Apesar da abertura para a temática, a TV Bahia encontra-se na bifurcação entre chancelar o racismo de um dos seus funcionários, fruto do racismo institucional e do estrutural, ou de reafirmar-se enquanto instituição que reconhece suas contradições e aponta a necessidade de ações que alterem essa realidade.

Nós do CEN, imbuídos da legitimidade de movimento social de luta por direitos, reiteramos nosso repúdio ao senhor Eurico Meira da Costa e nos colocamos à disposição do funcionário Hildazio Santana para ações que se tornarem necessárias. Informamos ainda que não temos interesse em estabelecer qualquer relação institucional com uma empresa que não aplica medidas efetivas, concretas, duras e de alteração estrutural diante de um caso de racismo tão brutal, como o relatado.

Seguimos na luta, porque só a luta muda a vida.

Direção Estadual da Bahia

Coletivo de Entidades Negras

Fonte:TV Bahia


About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga