» » Merenda de qualidade é assegurada na volta às aulas semipresenciais

Ofertar uma alimentação de qualidade para a merenda dos alunos da Rede Pública Municipal de Ensino sempre foi assunto tratado com prioridade pela Prefeitura de Camaçari. Com a retomada das aulas, inicialmente no formato híbrido (presencial e remota),  prevista para o dia 2 de agosto, a Secretaria da Educação (Seduc) já realizou as adequações necessárias para manter a qualidade nesse novo momento, após um ano e quatro meses de atividades paradas nos refeitórios/cozinhas das escolas, por conta da suspensão das aulas em decorrência da pandemia de Covid-19.

De acordo com informações da Coordenação da Alimentação Escolar da Seduc, a merenda será fornecida da mesma forma que era antes da pandemia. “Isso porque, estudos mostram que os alimentos não são vetor de contaminação para a Covid-19. Já tínhamos protocolos rigorosos para a produção da alimentação dos estudantes e eles só irão aumentar”, declarou Márcio Tavares, coordenador do setor. Ainda segundo ele, os alunos continuarão a receber alimentos in natura preparados na escola, a exemplo de frutas, verduras, carnes, feijão, saladas, alimentos integrais, dentre outros. “Ou seja, a não utilização de alimentos processados será mantida como é recomendado pelo Ministério da Educação (MEC)”, afirmou.

Como preparação para esse novo momento, a Seduc promoveu para as mais de 200 merendeiras, que atuam nas 112 unidades de ensino (do município e comunitárias), formações com foco na segurança alimentar e prevenção à doença. Elas também tiveram acesso aos protocolos necessários para reduzir o risco de transmissão do vírus, orientações sobre transporte, recebimento e armazenamento dos alimentos, além de recomendações sobre higienização de produtos, embalagens, utensílios e equipamentos.
Ministradas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), as capacitações para tratar sobre o volta às aulas aconteceram de forma virtual. Segundo a Coordenação da Alimentação Escolar, antes mesmo da pandemia as merendeiras passaram por capacitação e durante, outros três encontros virtuais foram realizados. Um novo momento irá acontecer quando estiver mais próximo do retorno. “A intenção é recuperar o tempo em que ficaram afastados para saber lidar com essa nova realidade, que é trabalhar com alimentação escolar durante o processo de pandemia”, explicou Márcio Tavares.

Para Ozenita Veloso Magalhães, 58 anos, que atua como merendeira há sete, o treinamento foi muito importante para o retorno às atividades. “Aprendemos as novas práticas de como proceder o nosso ofício nessa nova realidade que nos foi imposta”.

As servidoras administrarão os horários das refeições com estudantes separados por turnos, fardadas, com touca, máscara e jaleco, assegurando a higienização das mãos e o distanciamento seguro entre as pessoas. De acordo com a Seduc, o que irá mudar, de fato, com o retorno às aulas, será a restrição do acesso de pessoas dentro da área de produção de alimentos; será utilizado maior rigor no controle do recebimento das mercadorias pelos fornecedores, que já deverão chegar embalados adequadamente, higienizados e fracionados por peso, sobretudo, os hortifrutigranjeiros. Tudo isso, para evitar a contaminação pela Covid-19 ou por qualquer outra enfermidade causada por bactérias, como salmonela e outras.

O cardápio dos mais de 36 mil estudantes é montado por cinco nutricionistas e segue as orientações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A montagem do menu é de acordo com a modalidade de ensino e são diferenciados, ou seja, cada grupo de aluno tem um conforme a faixa etária. Como são atendidos estudantes desde a educação infantil a educação de jovens e adultos, desta forma, cada faixa de idade tem um cardápio para atender a sua necessidade.

Foto: Tiago Pacheco

Agência de Notícias
Coordenadoria de Jornalismo e Imprensa
Diretoria de Comunicação - Prefeitura de Camaçari

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga