» » Sedur cria grupo de formação técnico e científico

 Com objetivo de potencializar as competências da Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Sedur), gerando um protocolo de referência para a costa do município, a pasta convocou, nesta terça-feira (10/8), atores de diversas instituições para a formação de um grupo técnico e científico.

Na abertura do primeiro encontro, que aconteceu em formato semipresencial, além de tratarem de assuntos como ordenamento e fiscalização das dunas de Vila de Abrantes e de Jauá, dos dissipadores de PVC em obra na Praia de Busca Vida, falaram ainda sobre a criação de um cronograma de novos encontros que será elaborado para a união de outros órgãos competentes.

Durante a reunião, a secretária da Sedur, Andréa Montenegro, citou, “mesmo em meio a tudo que estamos passando com a pandemia, a natureza merece atenção de todos, sendo que a união desde o âmbito federal até o municipal, com gestão e iniciativas privadas, é uma necessidade urgente”, reforçou.  A Diretoria Ambiental da Sedur será o órgão que desenvolverá as ações para o andamento do grupo de trabalho científico.

A quantidade de demandas geradas por empreendimentos e construções residenciais e comerciais, como também o público de pescadores, que estão sofrendo com as mudanças climáticas, como o avanço da linha do mar e a destruição da linha costeira, necessita que seja formado um grupo de profissionais competentes nessas temáticas, sobretudo, por Camaçari possuir 42 quilômetros de praias no litoral.

O pesquisador da Fundação Projeto Tamar, Paulo Lara, que se fez presente no encontro, diz que as mudanças climáticas vão trazer consequências para as tartarugas marinhas. “Uma pela questão da temperatura, e a outra pelo avanço do mar, que vai avançar exatamente na área aonde elas desovam. Então, achamos muito interessante essa iniciativa em participar de um grupo de trabalho científico que há de reunir várias cabeças pensantes para se criar soluções em conjunto”, ressaltou.

Para Luiz Cláudio, gestor da unidade de conservação das Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Lagoas de Guarajuba e do Rio Capivara, “a participação dos órgãos de competência, como a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA), por conta do grupo de estudo dos assuntos climáticos, e o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), é um ganho, já que estamos falando da costa de Camaçari, que tem uma grande casa de desovas das tartarugas marinhas, tendo uma particularidade das demais costas aqui da Bahia”, destacou.

Participaram do encontro no formato virtual representantes da 5ª Promotoria de Justiça de Camaçari, através da assessoria, e da Procuradoria do município, e de forma presencial, representantes da Fundação Projeto Tamar e do INEMA.

Foto: Arquivo Sedur

--
Agência de Notícias
Coordenadoria de Jornalismo e Imprensa
Diretoria de Comunicação - Prefeitura de Camaçari

About www.conexao cidade

Saiba de tudo que acontece em Camaçari, na Bahia no Brasil e no Mundo.
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga